Margarida

Desde a morte do pai, seu Dudu morava sozinho com a mãe. A mãe morreu e ele logo arrumou Margarida, uma empregada nordestina que aceitou dormir no serviço. Margarida não era a brastemp que ele imaginou mas, por falta de tempo de ir atrás de outra, ela foi ficando e eles estão convivendo há quase um mes. Margarida é uma flor, mas seu Dudu prefere vê-la como um cacto espinhento, principalmente quando ela desanda a chorar seu passado, na sua monótona voz estridente.

__Seu Dudu, quando eu tinha 9 anos, “painho” abandonou “mainha” mais minhas 3 irmãs e deixou nós na rua da amargura.

__Eu sei, Margarida, você já me contou isso uma dúzia de vezes, criatura!

__Mas eu não contei que ele saia pra beber e jogar, a gente passando muita fome em casa e ele voltava de madrugada, entrava na surdina e ia comer uma quentinha escondido de todo mundo, dessa safadeza o senhor não sabia! Eu encontrava a “embalage de alumíno” escondida debaixo do guarda-roupa no dia seguin…

__Ah! Margarida, chega de miséria, vamos que eu quero essa roupa passada pra ontem! Já estou atrasado! Vamos!

Seu Dudu olhava o relógio e tomava o café, enquanto Margarida passava a roupa na lavanderia. Mesmo sem se ver eles mantinham a troca de gentilezas…

__Ah, Seu Dudu, tenha dó, se não conversar com o senhor eu vou falar é com quem? Do tanto de serviço que tem nessa casa, nem num sobra tempo pra eu sair conversar com as amiga.

__Margarida, eu pago você para trabalhar, não para conversar comigo, por favor… Você tem uma folga por mes para fazer o que quiser – de preferência longe daqui, pensou ele…

__Seu Dudu, sabia que minha mãe tá internada no manicômio, eu sinto tanta saudade dela… Ela pensa que é rica e que a família quer roubar o dinheiro dela, pode uma coisa dessas? O senhor não me libera pra fazer uma visita a ela nessa quinta-feira?

__Margarida, nessa quinta-feira eu tenho visita em casa, não me venha com essa conversa de cortar coração, você sabia muito bem que eu vou receber gente nesse dia. Anda com essa roupa, mulher! Por que você sempre tem que deixar tudo para a última hora?

__Seu Dudu eu não sou duas, se o senhor quiser o serviço mais “ligero” contrate mais uma, que eu sozinha não dou conta não.

__E eu aguento mais uma mulher nessa casa, Margarida, já limpou os móveis da sala que eu pedi ontem?

__O senhor tem muita coisa nessa casa, Seu Dudu, tava bom de vender pra um antiquário.

__Margarida, quantas vezes eu preciso dizer que meus móveis são herança de vovó e eu não vou me desfazer de nada! É de estimação, você entende? Falando em estimação, você limpou a caca de Fifi no meu quarto?

__Limpei não, Seu Dudu, esse bicho é muito abusado, o senhor não devia de deixar ele dormir na sua cama, vai acabar é pegando doença de cachorro!

__Vira essa boca pra lá, Margarida, esse cachorro é mais limpo que eu! E a comida dele, vai dar até o fim de semana?

__Vai dar não, Seu Dudu, que esse bicho come que é o cão! Fosse eu trocava por um “mudelo mais pequeno”.

__Não é modelo mais pequeno, Margarida, é raça menor! Faça o seguinte, vá ao Pet Shop no Shopping aqui do lado de casa e me compre um pacote de ração Royal Canin, sabor fígado, de 20 kg.

__O senhor então me bote isso tudo no papel e me dê a liberação “pra mode de eu pudê” entrar no “xópin”.

__Que liberação, Margarida, ninguém precisa de liberação para entrar em Shopping!

__Precisa não? Mas em tudo que é canto os porteiro anota o RG e pergunta onde é que a gente vai, parece até que a gente cometeu um crime!

__Margarida, mas você nunca foi a um shopping, meu deus do céu?

__Fui não, Seu Dudu, eu lá sabia que aquilo era lugar de gente “ingual” que nem eu?

__Margarida, filha de deus, mas onde é que eu fui achar uma mulher como você?

__“Oxe”, seu Dudu, pois foi a Deusimar quem me recomendou, não se alembra?

__Não é disso que estou falando, Margarida, eu me pergunto como é que um ser humano nunca entrou num Shopping Center! Como pode? O que você faz no dia da sua folga?

Margarida apareceu com a roupa passada na cozinha e disse, olhando nos olhos do patrão:

__“Oxe”, seu Dudu, o senhor acha que eu vou encontrar o meu homem num “xópin”? Eu vou é no arrasta-pé do Largo Treze!

Seu Dudu olhou para o relógio, sentiu um vazio repentino no peito, pegou a roupa passada e saiu sem dizer nada.

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

6 Respostas to “Margarida”

  1. edna Says:

    Não…é que quando tava escrevendo a resposta ao seu blog dei um google e foi o que apareceu…pura coincidência! Mas o seu Dudu merece um Antonio Carlos e Jocafi…Ah merece!

  2. chicoabelha Says:

    Putz, direto do fundo do baú! Você escutava isso, Edna? Eu ouvia na rádio Difusora quando tinha uns 9 anos de idade… rs!

  3. edna Says:

    Para o vazio do seu Dudu só mesmo essa musiquinha do fundo do baú e o refrão…”Viva de bem com a vida…”

  4. chicoabelha Says:

    Sim, tem Margarida demais em canteiro de obra, sendo que deveriam é estar enfeitando jardins…
    O que se passou com Dudu, por que o vazio no peito? Sei que aconteceu, mas não soube identificar de onde veio…

  5. chicoabelha Says:

    É, por que será o vazio do Dudu?

  6. edna Says:

    Quanta vida Margarida escondida tem por aí…Quanto ao vazio repentino no peito…Cada um sabe onde doi sua saudade…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: