Que Deus nos Ajude!

Lá pelos idos de 1999, estava ao telefone com meu irmão, a gente conversava sobre Pearl S. Buck. Eu acabara de ler dela, A Boa Terra, estava muito entusiasmado com a escritora e quis saber se ele a conhecia. Ele disse que não, mas segundos depois ele me desfia a biografia dela e me faz um resumo do livro! Desentendido, perguntei como ele fizera aquilo…

__É que estou com o computador aqui na minha frente, Chico.

__Mas tem todas essas informações? Dentro do seu computador?

__Não, Chico, estou conectado na Internet, fiz uma busca com os nomes que você me deu e as informações aparecem na tela… simples!

__Mas tão rápido assim? Eu mal perguntei se você conhecia a escritora e você já me entregou de bandeja um monte de informações? O que mais você pode perguntar pra essa Internet?

Naquela época eu achava que Internet era uma grande empresa, assim como a Folha Informações, um serviço telefônico que eu utilizei muito quando criança, para trabalhos de escola. A Folha Informações funcionava como uma enciclopédia, mas dava também previsão do tempo, câmbio, a hora em outros fusos, endereços, etc… Mas demorava o tempo de se conseguir uma linha livre, a telefonista atender, transferir a ligação, fazer a pergunta e esperar que a moça (era sempre uma mulher) fizesse a consulta… Era uma eternidade! A resposta do meu irmão me marcou para sempre:

__Chico, a Internet tem praticamente tudo, eu poderia ficar aqui o dia todo, falando pra você das possibilidades e ainda não esgotaria o assunto. Você pode achar tudo que quiser na Internet.

Tudo que eu quiser? Uau! Aquilo foi de um apelo irresistível! Pensei comigo, um dia eu ainda preciso ficar sócio dessa tal Internet! Nessa época eu morava em Jericoacoara, numa casa afastada uns 2 km da cidade, sem energia elétrica, totalmente desconectado e ainda muito bicho grilo, mas senti uma vontade enorme de mergulhar na piscina de possibilidades que eu vislumbrara através da conversa com o meu irmão.

Muita água ainda iria passar debaixo da ponte, antes que eu pudesse, finalmente, mergulhar nessa piscina enorme que é a Internet. Mas depois que mergulhei, não passo um dia sem molhar meus neurônios nessas águas… Toda manhã, levanto da cama,  jogo o xixi do penico no canteiro de jilós (é um ótimo adubo, cheio de sais minerais e nitrogênio) e em seguida ligo o computador e me conecto com o mundo. É como respirar ar fresco depois da chuva. Não sei se é vício, se é bom ou ruim, mas eu me sinto bem de saber do mundo, me relacionar com as pessoas, ler livros e descobrir imagens fantásticas no Google, escrevo lá uma palavra no buscador e depois clico em imagens. Pois bem, hoje de manhã, talvez influenciado pela minha preocupação com o acidente nuclear no Japão, digitei as palavras nuclear radiation e no meio dos resultados havia algumas imagens de insetos e pássaros. Cliquei no link e descobri uma matéria sobre um tal de Timothy Mousseau, que está pesquisando a vida selvagem na zona de exclusão de Chernobyl.

Entre outras coisas assustadoras que diz esse professor da Universidade da Carolina do Sul, li que ele achou muito estranho andar nas matas próximas a Chernobyl. Afora as construções abandonadas, que dão um ar fantasmagórico ao local, ele estranhou a ausência de teias de aranha e pequenos insetos. Na mesma hora que li aquilo, lembrei da minha trilha, essa que abri na matinha aqui perto de casa. Eu também não encontro teias de aranha quando ando na minha trilha, nem teias nem casas de vespas! Quando eu morava na floresta, vivia com o olho inchado de picadas de vespas, eu sempre topava com elas quando roçava o mato e teias de aranha estavam por toda parte! Por que a ausência desses bichos nesta mata se aqui não há radiação?

Uma coisa leva à outra, dei um google em insetos e radiação. Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que as torres de transmissão de sinal de celular emitem microondas, que estão matando esses bichinhos! Não só as torres, mas cada aparelho de telefone celular, cada roteador residencial contribui para o desaparecimento desses bichinhos. Me lembrei, depois, que apesar das poças d’água que se formam no terreno enrome que tem aqui em frente de casa, eu não escuto nenhuma sinfonia de sapos, rãs e pererecas. Uma tristeza me invadiu, eu tenho telefone celular, eu uso um roteador para meu conforto! Além da tristeza, uma sensação de culpa, por saber que sou cúmplice dessa mortandade… O que fazer? Voltar pra roça? Abrir mão daquilo que uso como ferramenta de trabalho e de relacionamento?

Não tive de tempo de chegar a nenhuma conclusão e já me tocam a campainha de casa. Era o porteiro do condominio que vem me pedir emprestada uma caixa de fósforos, pra acender cinco centímetros de espiral e espantar os pernilongos que o atacam dentro da portaria, no fim do dia e à noite. Eu tive que ir lá na portaria pra checar, o caminhão da fumaça passa todas as semanas, não era pra ter tanto pernilongo! Mas era verdade, havia uma nuvem de pernilongos sobrevoando tudo que se mexe e tem sangue quente e ainda escutei a reclamação da companheira de trabalho do porteiro:

__Seu Chico, isso aqui tá um inferno. Se a gente liga o ventilador pra espantar os pernilongos, não escuta o interfone, a gente tem que fazer uma fumaça aqui dentro, senão não tem jeito de trabalhar.

__Mas então o caminhão da fumaça não tá dando conta?

__Que nada, cada dia os mosquitos ficam mais atrevidos, o senhor não vai acreditar, eles já estão picando por cima da roupa da gente! O veneno tá é deixando eles mais fortes!

__Eu acredito sim, minha amiga, infelizmente eu acredito justamente nisso… Morrem os mais fracos e sobrevivem os mais aptos.

Quem sabe não é isso que vai acontecer com a humanidade também? Pensando nisso, e nem um pouco otimista, botei novamente no google as seguintes palavras: radiation effects on humans. Apenas para me defrontar com a pior do dia… Dei de cara com imagens que me pareceram saídas da mente perversa de algum doido deformando pessoas no photoshop. Eram imagens do fotógrafo Paul Fusco, que teve a coragem de se aventurar no terrível legado do acidente nuclear de Chernobyl em 1986. São imagens terríveis, muito fortes, mas que devem ser vistas, para servirem de alerta aos que ainda defendem o uso desse tipo de produção de energia. Que Deus nos ajude!

Anúncios

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

13 Respostas to “Que Deus nos Ajude!”

  1. chicoabelha Says:

    Sem comentário… bj!

  2. edna Says:

    Encontramos dois culpados essa tarde…
    Tomara que a gente repita outro dia…com outros textos!
    Bj

  3. chicoabelha Says:

    Culpa sua, você me faz ser criativo pra encontrar a melhor resposta para as suas eternas indagações…

  4. edna Says:

    Essa de conto de fralda foi muito boa…Quanta criatividade!

  5. chicoabelha Says:

    Epa, eu durmo pra ser feliz pra sempre, não quero saber de fralda no meu conto de fadas… não transforma ele num “conto de fraldas”, não! rsrsrsrsrss!

  6. edna Says:

    Tá… A gente dorme pra sempre antes de chegarem as fraldas então! rsrsrs

  7. chicoabelha Says:

    Ah, fralda geriátrica não, isso acho terrível, parece uma criança incapaz! Na eternidade pode fazer xixi em qualquer lugar a qualquer hora… Me deixa dormir, vai, eu adoro dormir… qualquer dia durmo e não acordo mais…

  8. edna Says:

    Acho que um dia chego nas fraudas geriátricas…Isso sim! Enquanto esse dia não chega…prefiro acordar e se acordar o companheiro também nada mal…afinal a gente vai ter a eternidade pra descansar…Será que tem pinico lá?

  9. edna Says:

    Acho que um dia chego nas fraudas geriátricas…Isso sim! Enquanto esse dia não chega…prefiro acordar e se acordar o companheiro também nada mal…afinal a gente vai ter a eternidade pra descansar…Será que tem pinico lá?

  10. chicoabelha Says:

    Ai meu Deus, com as sete horas contadas de sono que a gente tem, acordar o companheiro é sacanagem! rsrsrsrssrsrs! Penico é higiênico, ecológico e prático, eu morava na roça e usava, pois minha privada era muuuuuuuuti longe e sempre estava frio lá fora. Acostumei… Um dia vc ainda chega lá… rsrsrsrsrsrss!

  11. edna Says:

    Acordar e acordar a companheira no meio da noite pode ser algo muito agradável…Não me convence…Penico não!rsrsrs

  12. chicoabelha Says:

    Ahahahahaahaha! Penico é muito prático, amiga! Economizo a ida ao banheiro, que me acorda e à companheira!

  13. edna Says:

    Muito legal o seu texto…piscina que nada! É mar mesmo…uma infinidade de informação né?
    Ainda um pouco chocada com a idéia de que usa o penico, mas me recuperando…
    Bj

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: